© Kuder - Interesses Vacacionais

Nosso centro de avaliação de perfis é dedicado a orientar empresas na utilização de técnicas mais apropriadas, além de pesquisar, estudar e implementar novas metodologias na busca da excelência na avaliação de competências.

Implementamos uma metodologia de identificação de interesses profissionais com o objetivo de contribuir com as pessoas na escolha de uma carreira profissional, atividade de lazer ou produtiva.

Esse método destina-se a todas as pessoas que buscam identificar-se com uma profissão, sendo o maior público interessado os jovens na busca de escolha universitária.

A finalidade da avaliação é servir como parte integrante de um amplo programa exploratório que proporcionará informações relevantes e contribuirá sobre as decisões nos momentos de escolha profissional e carreiras.

Como ocorre com a maioria das pessoas, é provável que suas preferências sejam altas em algumas áreas, baixas em outras e na média nas demais. O importante é prestar atenção em todas preferências, já que as maiorias das atividades abrangem uma combinação de dois ou mais interesses.

Um fato importante que se deve ter sempre presente é que às vezes as preferências baixas significam que ainda não se teve oportunidades suficientes para desenvolver interesses em certas áreas. Suponhamos, por exemplo, o caso de uma pessoa cujos parentes e amigos não se interessam particularmente por música, e que não tiveram oportunidades de aprender a tocar um instrumento, de escutar atentamente gravações fonográficas e nem de assistir concertos. Talvez sua pontuação na área musical não seja tão alta como de alguém que já tenha mais experiência com a música.

Para que uma atividade possa nos agradar ou desagradar, devemos conhecê-la e descobri-la primeiro.

A participação em algo que alguém escolheu, pode ao mesmo tempo fortalecer o interesse por isso. À medida que as pessoas amadurecem e adquirem novas experiências, algum interesse primitivo pode modificar-se, aparecendo outros interesses no transcorrer da vida adulta. Nesse sentido, visando minimizar esse impacto, o processo de avaliação é realizado através de escalas de pontuação em faixas escolares e intelectuais.

É importante salientar, que nenhum interesse é melhor ou pior que o outro. O que importa é conhecer quais os próprios interesses e levá-los em consideração sempre que se deve tomar uma decisão em matéria educacional ou profissional.

O método informa dez áreas de interesse, porém não são as únicas possíveis, tampouco se trata de um método de classificação utilizado para classificar os interesses por ocupações específicas ou por preferência relacionada a certo tipo de situação pessoal. As áreas de interesse descritas, entretanto, são as que mais contarão quando tiver que adotar decisões sobre quais materiais escolares ou áreas profissionais irão analisar detalhadamente.

As preferências em áreas de interesses e afins soam ser muito mais elevados em algumas ocupações do que outras. Por exemplo, os autores, os diretores de jornais e os redatores estão cerca de 97% no interesse literário. Os músicos e os professores de música, 99% no interesse musical. Os mecânicos e os que consertam algo estão 65% no interesse mecânico (sua pontuação mais alta) e os cirurgiões alcançam o 75% no interesse científico.

Alguns grupos ocupacionais alcançam em áreas de interesses aparentemente não relacionadas com a profissão, preferências quase tão altas ou inclusive mais altas como em áreas e afins. Em uma pesquisa, o percentual mais alto para advogados e juízes foi de 82% e correspondeu a escala literária. O segundo percentual mais alto foi de 61%, obtendo duas escalas: a musical e a metódica. Em outra pesquisa, com cirurgiões, o segundo interesse em magnitude foi o interesse externo, com um percentual de 66%. O principal motivo deste tipo de resultado é que as pessoas têm, com grande frequência, mais de um interesse pronunciado.

Podem seguir uma carreira que combine com seus interesses, ou podem dirigir um ou mais interesses pronunciados relacionada com uma atividade satisfatória fora de seus horários de trabalho e resultar assim, uma mudança de ritmo ao mesmo tempo em que ampliam o ramo de suas atividades. Os empresários podem descarregar suas tensões e encontrar a oportunidade de afastar-se das pessoas e das pressões em atividades como a caça e a pesca. Um vendedor varejista pode, por exemplo, desfrutar de muitas tarefas do tipo: "faça você mesmo", que implicam um alto interesse mecânico. Já outra pessoa pode gostar de pescaria ou de jardinagem ou atuar em um teatro com plateia. Um comerciante pode tocar, durante seu tempo livre, pintar, esculpir ou ocupar-se em alguma outra atividade sem muita relação com seu trabalho do dia-a-dia.

  • Porque medir interesses

    Em geral se parte da suposição de que se deseja conhecer o que se gosta de fazer. Porém existe uma diferença entre interesses declarados e medidos, principalmente, no jovem porque é mais influenciado e atravessa novas experiências e pressões por decidir seu futuro educacional e profissional.


    Sucesso na carreira profissional

    Estudos demonstram uma relação positiva entre interesses medidos e a satisfação profissional. Uma pessoa que opte por uma ocupação em consonância com seus interesses tem maiores probabilidades de ser um profissional mais satisfeito e consequentemente mais dedicado e bem sucedido.

  • Estabilidade de interesses

    A estabilidade dos interesses pode variar de uma pessoa a outra, dependendo da idade e o que lhe acontece, porém estudos sinalizam que as principais áreas de interesses tendem a ser as mesmas quando reaplicado o instrumento. Em via de regra, quando mais jovem é a pessoa menos estáveis serão seus interesses.


    Metodologia aplicada

    Nossa ferramenta foi desenvolvida através de diversos estudos qualitativos, pesquisas e metodologias testadas como alinhamento acadêmico.

    O inventário possibilita comparar as respostas dos indivíduos com grupos de referência em dez áreas de interesses.

Principais características:

  • Metodologia que esclarece as áreas de interesses e não interesses e oferece orientação em relação com profissões.
  • Um processo que permite o auto conhecimento explicitado e que poderá evitar muitos problemas com decisões baseadas apenas em informações externas.
  • Qualidade e presteza das informações.
  • Contribui na auto análise e reflexão em conjunto com outras variáveis para a decisão de uma carreira profissional.